Expositores chineses comemoram participação na Fenatran

por Fábio Rogério
da Redação do Portal

Guangzou, Changzhou Haobang, Zhejiang Sanye, Ningbo Huizen, Wuhu Chengrun e Jingu. Entendeu? Pois então comece a se acostumar com esses nomes, pois se depender dos executivos chineses que estiveram na última Fenatran, eles chegam para ficar no mercado brasileiro de peças e acessórios para caminhões e implementos rodoviários.

Nesta 18ª edição, 27 empresas chineses vieram expor seus produtos, entre rodas para caminhões pesados e leves, suspensões, acessórios diversos para implementos rodoviários e veículos comerciais.

Já acostumados a buscar negócios no Brasil, muitos dos expositores se comunicam em inglês e até em português. A jovem chinesa Lu Lu, assistente comercial da fabricante de rodas Jingu Wheel, disse que seus diretores aprovaram a primeira participação na Fenatran.

Estande da Jingu Wheel

“Foi uma excelente oportunidade para fazermos uma rede de contatos. Não chegamos a fechar nenhuma venda aqui na feira, mas estamos muito positivos no retorno comercial do pós-feira”, disse. Além do Brasil, a Jingu também atua na América do Norte, Europa, África e Oceânia, fornecendo rodas que podem ser aplicadas em veículos da Volvo, Mercedes-Benz e Hyundai.

Zou Jingming, executivo de vendas da Guangzhou TND Axle (foto no topo da página), também diz que sua empresa está otimista. Pela primeira vez na Fenatran, a fabricante de suspensões para semirreboques espera que os contatos feitos na feira virem contratos nas próximas semanas. “A Fenatran foi uma ótima oportunidade para entrarmos no mercado brasileiro. Fizemos muitos contatos nesses cinco dias de feira”, disse Jingming.

Acessórios para implementos rodoviários da Ningbo

Na contramão do otimismo, Song Pan, diretor de Vendas da Ningbo Huizhen Mechanical Co. Ltd., uma fabricante de acessórios para implementos rodoviários, reclamou do recente aumento do IPI feito pelo governo brasileiro. “Espero que esse aumento seja repensado. Seria muito ruim para empresas novas que queiram entrar no País”, disse o executivo chinês.

Fotos: Fábio Rogério