Iveco apresenta estratégias para reduzir emissões de CO2 no transporte rodoviário

Presidente mundial da Iveco destacou, durante evento realizado em Bruxelas, os avanços tecnológicos que as marcas já disponibilizam para o mercado

Modelo europeu do Daily Elétrico lançado em 2015 (Foto: divulgação)
Modelo europeu do Daily Elétrico lançado em 2015 (Foto: divulgação)

A Iveco participou do evento “Reduzindo juntos o CO2 do transporte rodoviário”, realizado pela ACEA, sigla em inglês para Associação Europeia de Fabricantes Automotivos, no dia 16 de fevereiro, em Bruxelas, na Bélgica. Como fabricante global de veículos comerciais e membro da ACEA, a marca apresentou suas soluções e estratégias para tratar questões relacionadas ao meio ambiente.

Pierre Lahutte, presidente mundial da Iveco, representou a montadora durante o painel de debates “Como podemos melhorar o trabalho conjunto para reduzir emissões de CO2 do transporte rodoviário?”. Em seu discurso, Lahutte anunciou os planos da CNH Industrial para diminuir os níveis de emissões no segmento de veículos comerciais, detalhando os benefícios das tecnologias dos veículos movidos a gás natural, híbrido e elétrico. “É fundamental ter uma estratégia abrangente e integrada para conseguir níveis elevados de redução de emissões de CO2 de forma eficaz e barata”, comenta o executivo.

Mercado europeu

Detentora das marcas Iveco, Iveco Bus e Heuliez Bus, a CNH Industrial é a líder em veículos a gás natural no mercado europeu. O gás natural é uma das soluções mais vantajosas em termos de emissões, custos operacionais e desempenho. O recurso representa a melhor opção técnica com disponibilidade imediata para enfrentar os problemas da poluição urbana, reduzindo emissões de CO2 para ônibus e veículos comerciais.

Desde 2010, a montadora já comercializou mais de 400 ônibus híbridos na França, e também tem alcançado outros mercados, como a Espanha, com a entrega de 30 ônibus GX Hybrid para as cidades de Madrid e Barcelona. Atualmente, os veículos pesados correspondem a 5% das emissões de gases do efeito estufa. Calcula-se que o potencial de redução de CO2 para veículos pesados seja por volta de 20% até 2020, totalizando uma queda de 3,5% ao ano, a partir dos níveis de emissões registrados em 2014.