Venda de carretas fecha 2017 com alta, mas carrocerias têm queda

Há um ano, a situação de oferta de grãos era diferente da observada atualmente, com uma safra de soja não tão grande e com a quebra da ‘safrinha’

Na última segunda-feira (8) a Anfir (Associação dos Fabricantes de Implementos Rodoviários) divulgou os números do setor para o ano de 2017.

Assim como entre os caminhões, o mercado de implementos também viu alta para a voltada a veículos pesados e baixa entre os modelos semipesados e leves. De acordo com a associação, foram emplacados um total de 60,4 mil unidades em 2017, representando uma retração de 2,42% em comparação a 2016.

- Publicidade -

Enquanto o segmento leve puxou o desempenho negativo com um total de 35,5 mil unidades (queda de 8,35% em relação a 2016), o segmento pesado apresentou alta de 7,51%, para 24,9 mil unidades.

Entre os destaques do segmento pesado no ano passado estiveram tanques de alumínio, baú de carga geral, baú lonado e frigorífico. Em leves, as maiores perdas foram nas carrocerias betoneira, basculante e baú lonado.

2018 de recuperação

Os emplacamentos de implementos rodoviários deverão crescer cerca de 15% este ano, puxados pela expectativa de alta entre 2% e 3% do Produto Interno Bruto (PIB), alavancando principalmente o segmento leve.

“O avanço do segmento pesado é o prenúncio da recuperação [econômica], que não parece ser apenas um soluço, mas um crescimento sustentável. Agora, em 2018, a melhora deve se espalhar em leves”, avalia o presidente da Anfir, Alcides Braga.

Segundo Braga, a indústria teria a capacidade de retomar sem sobressaltos uma produção de aproximadamente 100 mil unidades. Cerca de 60% dos emplacamentos são de leves, enquanto o restante é de pesados. Com a expectativa de recuperação, ele diz acreditar que o setor recupere um nível de capacidade instalada de cerca de 50% ao longo de 2018, uma melhora ante os 70% recentes de ociosidade. “Podemos retomar um patamar de vendas na casa das 100 mil unidades até 2020, se mantivermos esse ambiente de recuperação econômica”, pondera.

Veja os dados da Anfir do fechamento de 2017 aqui

- Publicidade -