Volvo projeta alta nas vendas de caminhões e anuncia investimentos

Líder na faixa de mercado em que atua no Brasil, a Volvo espera alta de até 10% nas vendas de caminhões e investirá R$ 1 bilhão nos próximos 3 anos

Volvo

Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina
Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina

Em números absolutos de vendas de caminhões em 2016, a Mercedes-Benz ficou com a liderança. No entanto, a Volvo pode se dar o direito de dizer que, considerando apenas a faixa do mercado em que atua (acima de 16 PBT), ela é quem mais emplacou veículos no ano passado, com 27,9% de participação. Disposta a manter a posição que já ocupa há 3 anos, a fabricante sueca anunciou nesta terça-feira (14) em São Paulo (SP) um aporte de R$ 1 bilhão entre 2017 e 2019 que terá como foco o desenvolvimento de novos produtos, que passa também pela renovação da fábrica de Curitiba (PR).

“A ideia é complementar a oferta e manter a dianteira”, afirma Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina. O primeiro lugar foi alcançado principalmente pelo desempenho do FH 460 e do FH 540 que tiveram, respectivamente, 1.426 e 1.344 unidades vendidas, sendo os veículos pesados mais vendidos do Brasil.

Volvo FH
Volvo FH

Além do resultado positivo no Brasil, o mercado de exportação dos pesados teve forte alta, de 30,6%, e já representa 42% do total de veículos vendidos pela Volvo na América Latina (os outros 58% são referentes ao mercado brasileiro). A queda nas vendas no Brasil em 2015 e 2016 ajudou a diminuir essa diferença entre o que é exportado e o que é vendido no mercado brasileiro. Esses números devem mudar em 2017, uma vez que a Volvo espera uma retomada no país. “Devemos ficar entre a estabilidade e um crescimento de até 10% ou até mais do que isso”, estima Lirmann.

Como 2016 foi um ano de baixas vendas, as montadoras enxugaram a produção e diminuíram os estoques, o que leva ao entendimento de que a produção terá alta independente do tamanho da retomada. “Há uma sinalização de confiança da economia. A indústria ainda tem muitas capacidade disponível, o setor de petróleo saiu de expectativa ruim no ano passado para positiva neste ano, agricultura com safra recorde neste ano e toda uma cadeia que está ligada a ela. Quando você soma todos esses fatores, em algum momento nós veremos uma reação importante”, explica Bernardo Fedalto, diretor de vendas de caminhões da Volvo.

E o início do movimento de retomada do mercado deve vir nos próximos meses. “Temos que lembrar que o emplacamento ocorre de 45 a 90 dias após a venda do veículo. Esse retomada de números deve acontecer a partir de março e abril. E existem muitas consultas, mas o processo de decisões ainda estão sendo postergadas e devem acontecer em fevereiro e março”, conclui Fedalto.