Etapa de Guaporé determina ‘sobrevivência’ de quatro pilotos na luta pelo título da Fórmula Truck

A temporada de 2012 do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck chega neste domingo (14) à sua oitava e antepenúltima etapa. O Grande Prêmio Crystal vai formatar no Autódromo Nelson Luiz Barro, na cidade gaúcha de Guaporé, uma relação real dos pilotos que seguirão para as duas etapas finais, em Curitiba (PR) e Brasília (DF), com chances de conquista do título. Pela classificação atual, são 11 os pilotos que sustentam chances matemáticas.

Valmir Benavides, competindo pela Scuderia Iveco, Adalberto Jardim, da AJ5/Volkswagen, Régis Boessio, da ABF Desenvolvimento Team/Mercedes-Benz, e Geraldo Piquet, da ABF/Mercedes-Benz, figuram entre o oitavo e o 12º lugar na tabela de classificação – esse grupo inclui também Fred Marinelli, afastado da disputa por um acidente. As chances de conquista do título por um desses pilotos prende-se a combinações matemáticas consideradas improváveis.

Leandro Totti, da ABF Racing Team/Mercedes-Benz, lidera o campeonato com 129 pontos, Beto Monteiro, da Scuderia Iveco, com 105, e Felipe Giaffone, da RM/MAN-Volkswagen, com 99. Os três vão fechar a etapa guaporense mantendo chances de título, com quaisquer combinações de resultados. Totti, já campeão sul-americano de 2012, busca seu primeiro título no Brasileiro, conquistado por Monteiro em 2004 e por Giaffone em 2007, 2009 e 2011.

O paulista André Marques é o quarto colocado na tabela de pontos, com 81. Em seu primeiro ano defendendo a RM Competições, ele reconhece a importância da conquista de um resultado expressivo em Guaporé. Depois do terceiro lugar na classificação final do Sul-Americano, ele diz não se sentir mais sob pressão. “Eu até estou gostando da situação, já passou o turbilhão de decisão de campeonato. Agora dá para correr um pouco mais relaxado”, manifesta.

Cumprindo sua terceira temporada na Fórmula Truck, Marques admite ter se deixado prejudicar pela situação favorável que vivia na disputa pelo título sul-americano. “Por mais que eu não quisesse dar bola a isso, acabou atrapalhando um pouco, sim. Se eu for bem em Guaporé e a condição no campeonato melhorar, a pressão pode voltar, mas faço questão de ter esse problema”, avisa, em tom de bom-humor, lembrando que “é uma pista onde a equipe tem um bom histórico”.

Paulo Salustiano viaja a Guaporé ainda comemorando a conquista de seu melhor resultado na categoria – o segundo lugar na sétima etapa, disputada no dia 9 de setembro no circuito argentino de Alta Gracia, na província de Córdoba. “Meu caminhão é bem resistente, provamos isso na Argentina, e é claro que a meta é tentar um bom resultado em Guaporé para continuar vivo nessa luta pelo título, só que não vai ser nada fácil”, avalia o piloto da ABF/Volvo.

A 59 pontos do líder Totti, havendo 96 em jogo, Salustiano admite não se considerar um candidato ao título. “O Totti está numa fase excelente, o Felipe vem numa crescente, o próprio Beto baixou um pouco a média de resultados, mas faz um campeonato muito bom. Honestamente, vou pensar corrida a corrida, sei que tenho condição de tentar estar no pódio nas três corridas que faltam para terminar o campeonato entre os cinco primeiros, quem sabe entre os três”, estipula.

Sexto na tabela, Wellington Cirino viaja a Guaporé disposto a consolidar a terceira vitória na pista gaúcha, onde ganhou em 2004 e 2005. “Temos tudo para vencer essa corrida, sempre vou para uma corrida apostando em vitória. O foco do trabalho está na parte eletrônica do motor, para ter mais regularidade. O caminhão é bastante competitivo, mas não temos conseguido uma regularidade”, observa o piloto paranaense da ABF/Mercedes-Benz.

“Consegui terminar só duas corridas neste ano. Nas duas que terminei, fiz uma vitória e um segundo lugar”, frisa o tetracampeão, em alusão à terceira etapa, disputada em Caruaru, e à quarta, em Goiânia. Seu planejamento para a etapa de Guaporé prevê uma simulação de corrida durante os treinos livres de sexta-feira. “Simulando uma corrida nós teremos uma condição melhor de avaliar o acerto da eletrônica. Precisamos voltar a vencer”, comenta.

Dono dos títulos brasileiros de 2002 e 2010, ano em que também venceu o Sul-Americano, Roberval Andrade corre pela primeira vitória na temporada. Piloto do Scania da Ticket Car Corinthians Motorsport, o paulista não ocupa o degrau mais alto do pódio desde a corrida que lhe assegurou, em Brasília, os dois títulos de 2010, no encerramento daquela temporada. Ele figura na lista dos vencedores da etapa da Truck em Guaporé – ganhou a edição de 2002.

“Estou longe do G4 e mais longe ainda do Z4”, brinca Andrade, em alusão aos grupos dos quatro primeiros e dos quatro últimos colocados no Campeonato Brasileiro de Futebol. “Quanto a Guaporé, sei que a chance de ganhar é grande, é uma pista onde sempre somos fortes. Neste ano, nosso ritmo é bom, o problema têm sido as quebras. Trabalhamos nos itens que apresentaram problemas e acho que não teremos quebras agora. Vamos lá para vencer”, anima-se.

(LT)

Foto: Orlei Silva