ZF lidera mercado de transmissões automáticas com produto de 6 marchas para ônibus em cinco capitais brasileiras

A ZF realizou na última terça-feira, dia de junho, em Belo Horizonte o evento ZF EcoShow, um test-drive com a transmissão automática de 6 marchas para ônibus que demonstrará toda a tecnologia disponível para reduzir o consumo de combustível, aumentar a produtividade da operação de transporte e ainda entregar um desempenho sustentável e amigável ao meio ambiente. Em evento realizado no Mega Space de Santa Luzia (MG), empresários e representantes de frotistas mineiros tiveram a oportunidade de experimentar todos os benefícios oferecidos pela transmissão, além de comprovar porque o produto é uma solução para melhorar o transporte público da capital Belo Horizonte.

Com três marchas a mais do que a concorrência e disponível para veículos de diversas marcas, as transmissões automáticas da ZF estão presentes em 68,5% dos ônibus equipados com esta tecnologia nas cidades do Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Porto Alegre (RS), Recife (PE) e Manaus (AM).

As frotas destas capitais optaram por esta tecnologia de última geração não só pela quantidade de marchas, mas por uma série de benefícios como baixo consumo de combustível (possível por conta das 6 marchas), aumento de produtividade da operação (sem trocar de velocidade, o motorista é capaz de dirigir mais descansado e com mais atenção ao trânsito) e menos impacto ao meio ambiente (itens como o retardador primário evitam que freios sejam utilizados e, consequentemente, que quantidades menores de pó de freio sejam expelidas).

Hoje, aproximadamente 650 transmissões automáticas de 6 marchas da ZF operam nos principais corredores de ônibus de cinco capitais, das quais três abrigarão grandes eventos esportivos como a Copa das Confederações, a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Em toda a América do Sul, a ZF já contabiliza de janeiro a maio de 2013 a venda de 119 transmissões automáticas, principalmente para grandes frotistas do Brasil e do Chile.

Em 2013, as vendas de destaque de ônibus com transmissão ZF no Brasil ocorreram no Rio Grande do Sul e Pernambuco. Em Porto Alegre, a Viação Teresópolis-Cavalhada (VTC) adquiriu 12 veículos Mercedes-Benz O500M (Padron de 12 metros), enquanto a SOUL (Sociedade de Ônibus Alvorada) comprou 23 Mercedes-Benz articulados MBB O500MA. No Nordeste, a Rodoviária Caxangá somou à sua frota cinco veículos O500MA, que são os primeiros articulados para os novos corredores (BRTs) de Recife (PE). E logo no início do ano, a ZF registrou a venda de 79 ônibus Volvo B7 equipados com transmissão para a SUBUS, frotista que opera em Santiago, no Chile.

As transmissões automáticas estão seguindo no continente sul-americano o mesmo caminho bem sucedido que já ocorre em outros mercados globais. Um exemplo recente ocorreu na Turquia, quando no primeiro trimestre sete frotistas decidiram renovar suas frotas, e já confirmaram a compra de 2.043 novos ônibus municipais, que circularão pelas cidades de Istambul, Ancara, Izmir, Gaziantep, Konya e Erzurum. Dentro deste total, a transmissão automática ZF equipará 1.108 unidades Mercedes-Benz das frotas dos operadores de tráfego IETT (de Istambul), Ego (da cidade de Ancara) e Eshot (de Izmir).

A ZF é líder global no mercado de transmissões automáticas para ônibus, com um market share de 51%. Na Europa Ocidental, a liderança se mantém, com 69% do mercado.

A evolução constante das transmissões automáticas

Hoje, o portfólio do Grupo ZF oferece dois modelos de transmissão automática para ônibus: a Ecomat e a Ecolife. Em ambas, os investimentos da ZF em Pesquisa & Desenvolvimento entregam altos níveis de produtividade por meio da tecnologia.

Um exemplo (que equipa ambos os modelos) é o software TopoDyn Life, responsável pela troca de marchas após reconhecer a topografia e o peso transportado pelo veículo (a escolha é feita pela “inteligência artificial” do programa, que calcula rapidamente qual é a marcha necessária).

Outro destaque das transmissões é o retardador hidráulico primário, que garante a eficiência de frenagem e, até 6 km/h, reduz a velocidade do veículo sem a utilização dos freios – sistema que se mostra ideal para as aplicações urbanas, onde os deslocamentos lentos são comuns por conta do forte tráfego.

“Hoje, a transmissão automática está presente em veículos articulados e biarticulados, seja em operações de corredores BRT (Bus Rapid Transit) ou não. Mundialmente ela também se faz presente em veículos Padron. Este ano, estamos fazendo uma série de apresentações desta inovação no Brasil em virtude das necessidades que estamos prestes a vivenciar em nosso País, com uma grande janela de investimentos gerada pela vinda de eventos internacionais como Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas”, explica Alexandre Marreco, gerente de Desenvolvimento de Negócios de Sistemas de Transmissão da ZF do Brasil.

(LT)

Foto: Divulgação